A perceção dos jesuítas no mundo português: entre o trato de e o gosto por orientalia (sécs. XVI-XVII)

Cristina Osswald

Resumen


Durante os sécs. XVI e XVII, os jesuítas notabilizaram-se na encomenda de orientalia. Incluía esta encomenda exotica, rarita, naturalia. Tratando-se de homens de religião, uma parte considerável das orientalia encomendadas tinha um carácter religioso. Pelo menos, no início, tais objetos destinavam-se predominantemente à liturgia nas missões. No entanto, os jesuítas rapidamente desenvolveram um apurado gosto pelo colecionismo destes objetos, tendo-se ainda notabilizado no seu comércio. Entre as orientalia que mais interesse despertavam entre os jesuítas, destacavam-se a seda e a prata japonesas transportadas pela Nau do Trato, as rarita indianas, como objetos de ourivesaria e escultura em marfim, ou ainda naturalia e exotica, como pérolas e pedras de bezoar. Os Jesuítas aderiram ainda, de imediato, à moda da porcelana e da laca chinesas. Os jesuítas foram agentes fundamentais do ponto de vista técnico. A criação das pedras de Goa e a introdução da Púrpura de Cassius deveu-se a jesuítas. Autores jesuítas escreveram ainda importantes tratados técnicos. O comércio e o colecionismo de orientalia por jesuítas era, muitas vezes, excessivo. No entanto, a repetição de proibições pelo Geral Claudio Acquaviva e pelo Geral Everardo Mercuriano é bem elucidativa da incapacidade das autoridades acabarem com as práticas pouco adequadas a religiosos de possuírem objetos luxuosos e de fomentar o gosto pelo luxo, através da oferta de orientalia.


Texto completo:

PDF

Referencias


Academia Real da História, Lisboa, Portugal, Cód. 708, Notícia Terceira das Relíquias insignes que se acham nos Santuários dos Padres da Companhia de Jesus da Província de Goa na Índia, fols. 72-73.

Alden, Dauril, «Some Considerations Concerning Jesuit Enterprises in Asia», in A Companhia de Jesus e a Missionação no Oriente, ed. Nuno da Silva Gonçalves S.J. Lisboa, Fundação Oriente/Revista Brotéria, 2000, pp. 53-62.

Alden, Dauril, The Making of an Enterprise, The Society of Jesus in Portugal, Its Empire, and beyond, 1540-1750, Stanford, Stanford University Press, 1996.

Archivum Romanum Societatis Iesu, Roma, Itália, GOA 18, Malab. Epist. 1620-1679, Carta de André Palmeiro a Nuno de Mascarenhas, 20 de Dezembro de 1620, India, Cochim.

Archivum Romanum Societatis Iesu, Roma, Itália, Lusit. 68, Lista de las cosas que van de Portugal para la Casa de Roma, las cuales van con el P. Sabino en la nave que parte de Lisboa en fin de outubro de 1581.

«Auszügen aus den Briefen der Jesuitengeneräle an die Obern in Indien (1549-1613)», ed. Joseph Wicki, Archivum Historicum Societatis Iesu, 22, 1952, pp. 114-169.

Borges, Charles. The Economics of the Goa Jesuits, 1542-1759: an Explanation of their Rise and Fall, New Delhi, Concept Publishing Company, 1994.

Borschberg, Peter, «O comércio, uso e falsificação dos bezoares de porco-espinho na Época Moderna (c. 1500-1750)», Oriente, 14, 2006, pp. 60-78.

Boxer, Charles R., O grande navio de Amacau, Lisboa, Fundação Oriente Macau: Museu e Centro de Estudos Marítimos, 1989.

Cardim, Fernão, Tratados da terra e gente do Brasil, Lisboa, Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, 1997.

Carvalho, Pedro de Moura, «A laca na China», in O Mundo da Laca: 2000 anos de história, coordenação científica de Pedro de Moura Carvalho, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 2001, pp. 19-30.

Costa, P. J. Peregrino da, «Os portugueses, pioneiros da introdução da medicina europeia no Extremo Oriente – Sião, Molucas, Japão, Conchichina, Pequim, e Macau», Boletim do Instituto Vasco da Gama, 63-64, 1948, pp. 5-200.

Curvelo, Alexandra, «Os Portugueses no Japão da Idade Moderna / Namban Commission», in Encomendas Namban. Os Portugueses no Japão da Idade Moderna/ Namban Commissions. The Portuguese in Modern Age Japan, coord. Maria Manuela d’Oliveira Martins e Alexandra Curvelo, Lisboa, Museu do Oriente, 2010, pp.11-31.

Dias, P., História da arte portuguesa no mundo 1415-1822, O Índico, Lisboa, Círculo dos Leitores, 1998, vol. I.

Documenta Indica, ed. Joseph Wicki, Roma, Monumenta Historica Societatis Jesu, 1948-1988, 18 vols.

Dois compêndios das ordens dos padres gerais e congregações provinciais da província dos Jesuítas de Goa feitos em 1604, ed. Joseph Wicki, Lisboa, Centro de Estudos Históricos Ultramarinos/Junta de Investigação Científica do Ultramar D.L., 1982.

«Duas relações sobre a situação da Índia Portuguesa nos anos de 1568 e 1569 (1961)», ed. Joseph. Wicki, Studia, 8, 1961, pp. 133-240.

Dudink, «The inventories of the Jesuit House at Nanking made up during the persecution of 1616-1617 (Shen Que, Nangong shudu, 1620)», in Western Humanistic Culture Presented to China by Jesuit Missionaries (XVII-XVIII centuries), ed. Federico Masini, Roma, Institutum historicum Societatis Iesu, 1996, vol. I. pp. 119-168.

Godinho, P. Manuel, relação do novo caminho que fez por Terra e Mar Vindo da Índia para Portugal no Ano de 1663, Lisboa, Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1974.

Gonçalves, Sebastião, Primeira parte da historia dos religiosos da Companhia de Jesus e do que fizeram na conversão dos infieis nos reynos e províncias da India Oriental (1614), Coimbra, Atlântida, 1957, 3 vols.

Itinerário, Viagem ou Navegação de Jean Hughen van Linschoten para as Índias Orientais ou Portuguesas, Lisboa, Comissão Nacional para a Comemoração dos Descobrimentos Portugueses, 1997.

Lecomte, Louis, Nouveau Mémoire sur l’état présente de la Chine, Paris, Jean Anisson, 1696.

Martini, Martino, Atlante Cinese, Amsterdão, J. Blaeu, 1655.

Martins, Maria Odete Soares, A missionação nas Molucas no século XVI: contributo para o estudo da acção dos Jesuítas no Oriente, Lisboa, Universidade Nova de Lisboa, 2002.

Oka, Mihoko, «Os Jesuítas e o comércio entre Macau e o Japão», Revista Lusófona de Ciência das religiões, 13-14, 2008, pp. 359-365.

Osswald, Cristina, «Padres colecionadores e orientalistas no Portugal Moderno (sécs. XVI-XVIII)», Estudios Portugueses, 7, 2007a, pp. 251-272.

Osswald, Cristina, «S. Francisco Xavier no Oriente – aspectos de devoção e iconografia», in São Francisco Xavier: da Europa para o mundo 1506-2006, Porto, Centro Interuniversitário de História da Espiritualidade, 2007b, pp. 119-142.

Silva, Nuno Vassalo e, A ourivesaria: entre Portugal e a Índia: do século XVI o século XVIII, Lisboa, Santander Totta, 2008.

Tavernier, Jean Baptiste, Travels in India, Cambridge, Cambridge University Press, 2012.

Valignano, Alessandro, Apología de la Compañía de Jesús de Japón y China (1598), Osaka, Eikodo, 1998.

Voyage de Pyrard de Laval aux Indes Orientales (1601-1611), ed. Castro e pres. Geneviève Bouchon, Paris, Chandeigne/Librairie Portugaise, 1998.




DOI: https://doi.org/10.13035/H.2018.extra01.17

Licencia Creative Commons
Hipogrifo (ISSN: 2328-1308) es una revista bajo una Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-SinDerivadas 3.0 Unported.